Total de visualizações de página

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

DIFERENÇA ENTRE CRER E ACREDITAR


“Um dos malfeitores crucificados blasfemava contra ele, dizendo: Não és tu o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós também. Respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença? Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez. E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino.”(Lc. 23:39-42)

As palavras acreditar e crer no dicionário são termos sinônimos.
Isto quer dizer que, no geral, significam a mesma coisa e assim são usadas no mundo em que vivemos.
Mas significam realmente a mesma coisa na área espiritual?

O significado de acreditar na bíblica é basicamente "dar crédito" e "confiar".
Crer, por outro lado, é um verbo carismático, ativo, que envolve um componente especial: A fé.

Muitas pessoas, por exemplo, dizem acreditar em Jesus.
Acreditam que Ele exista.
Mas apenas acreditar que Jesus existe é o suficiente?

O texto diz que ali estavam dois homens, ladrões e malfeitores, pendurados em cruzes.
Um do lado direito, outro do lado esquerdo.
Ambos acreditavam, por ouvir falar, que Jesus existia.

Os nomes destes dois ladrões não são mencionados na Bíblia, mas, popularmente são chamados de o bom ladrão e o mau ladrão.
Alguém já conheceu um ladrão bom? É claro que não!
Aqueles homens estavam ali, condenados à morte, por provavelmente terem roubado e matado.

Os dois ouviram falar do Senhor Jesus, mas só um creu em Jesus.
“E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino”. (Lc.23.42)

Jesus não ofereceu livrá-lo da cruz, nem diminuir a sua dor, ou acabar com os seus problemas.
Não ofereceu uma vida terrena de riquezas ou poder.
Jesus ofereceu aquilo que ninguém poderia proporcionar: a vida eterna, perdão de pecados, reconciliação e paz com Deus, justificação.
Um dos ladrões aceitou e foi recompensado.
“Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” (Lc.23.43)

Este fato ocorreu no Monte do Calvário, o Gólgota, lugar da Caveira, assim chamado por causa do seu formato.
Ali Jesus, durante seis horas, sofreu para nos livrar-nos da condenação do pecado.
“Era a hora terceira quando o crucificaram. E, por cima, estava, em epígrafe, a sua acusação: O REI DOS JUDEUS. Com ele crucificaram dois ladrões, um à sua direita, e outro à sua esquerda. [E cumpriu-se a Escritura que diz: Com malfeitores foi contado.] Os que iam passando, blasfemavam dele, meneando a cabeça e dizendo: Ah! Tu que destróis o santuário e, em três dias, o reedificas! Salva-te a ti mesmo, descendo da cruz! De igual modo, os principais sacerdotes com os escribas, escarnecendo, entre si diziam: Salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se; desça agora da cruz o Cristo, o rei de Israel, para que vejamos e creiamos. Também os que com ele foram crucificados o insultavam. Chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona. À hora nona, clamou Jesus em alta voz: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mc. 15.25-34)

De que forma você se relaciona com o Senhor Jesus?
Não acredita e nem crê n’Ele?
Apenas acredita, mas não crê no que Ele possa fazer por você?
Acredita e crê, incondicionalmente, n’Ele?

Existe uma diferença entre CRER e ACREDITAR.
Quero ilustrar com a história de um famoso equilibrista.

Um famoso equilibrista anunciou um grande desafio:
Iria atravessar um grande abismo andando por sobre um cabo de aço esticado guiando um carrinho de mão. E no dia marcado, grande multidão e os meios de comunicação estavam presentes para assistir aquela proeza.
Tudo estava preparado.

O cabo de aço estava esticado ao largo da queda de uma grande cachoeira e o carrinho estava no ponto de partida.
Então, o equilibrista fez uma pergunta para os espectadores: “Quantos de vocês acreditam que eu consiga atravessar esta cachoeira guiando este carrinho de mão?”
Muitas mãos se levantaram em sinal de crédito, mas muitos outros não acreditavam que ele conseguisse.

Depois de pedir silêncio, ele foi e voltou com o seu carrinho de mão.
Chegando, ele fez outra pergunta: “Quantos de vocês acreditam que eu consiga atravessar novamente esta cachoeira?”
A resposta das mãos levantadas foi praticamente unânime.
Então ele disse: “E quantos de vocês acreditam que eu consigo atravessar com uma pessoa sentada no carrinho?”
O entusiasmo era geral, e praticamente por unanimidade responderam que acreditavam que ele conseguisse realizar tal façanha.

O equilibrista, então, faz uma nova pergunta: “Sendo assim, quem de vocês gostaria de sentar-se no carrinho?”
O público silenciou completamente, e nenhuma mão se levantou. Então ele disse: “Nenhum de vocês crê?”

Esta é a diferença entre acreditar e crer.
Crer em Jesus significa sentar-se no carrinho e deixar que Ele, o Todo Poderoso, dirija a sua e a minha vida. Aleluia!

E se já cremos em Cristo, precisamos decidir entre entregar o controle da nossa vida a Ele a partir deste dia, ou continuar nós mesmo dirigindo a nossa vida.

“Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa.”

Um comentário:

  1. Assim esta a maioria das pessoas no nossos dias. Acreditam em Jesus por que foi passado por seus pais, mas , não crer que Ele possa salva-los. Não crer que estão condenar a morte e que somente o Filho de Deus o pode leva-los ao Pai. O diabo o segaram para que não veja e cream.
    Precisamos continuar a pregar o Evangelho cada vez mas para resgar das trevas os que serão salvos.

    Ravel. IBAC Igreja Batista Alto do Cruzeiro.

    ResponderExcluir